Fiéis celebram Semana Santa com fé e devoção

Diferente de 2020, quando devido a pandemia as igrejas foram impedidas de realizar missas com a presença de fiéis, as celebrações do Tríduo Pascal e do Domingo de Páscoa deste ano, contaram com a presença da assembleia. Em cumprimento aos decretos governamentais, foi respeitada a lotação máxima de 25% do total de lugares de cada igreja, assim como houve o cuidado para com todos, quanto ao distanciamento, distribuição de álcool gel e uso de máscara. Alguns momentos, como procissões e outras devoções deste período, foram omitidos ou realizados de forma contida, a fim de evitar possíveis aglomerações.

Quão grande é esse mistério, que sequer somos capazes de compreender? A Quinta-feira Santa, recordou a Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio, além do Mandato do Amor: “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. Deu início a maior de todas as celebrações de nossa fé: o Tríduo Pascal. Unidos a Cristo Eucarístico, proclamamos que queremos seguir seu exemplo e nos colocarmos ao serviço do próximo.

Na Sexta-feira Santa, foi lembrada a Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. Caímos em nós mesmos, levantamos, reconhecemos nossos erros e vamos ao encontro do Pai. O silêncio da manhã de sexta-feira nos ajudou a refletir nossas faltas e entrarmos em comunhão com o Deus de misericórdia. Ele, por sua morte, nos deu o direito de vestirmos novamente nossas vestes de dignidade e estarmos ao seu lado.

Em silêncio, olhamos para a Cruz de Cristo, contemplamos o mistério da entrega através da Palavra de Deus. O crucificado é o amor escrito e nós, de olhos lacrimejados e mãos unidas, somos seu povo remido.

Sábado da Vigília Pascal, noite de alegria verdadeira! Unidos a Cristo, encerramos o Tríduo Pascal recordando a história da nossa salvação com a celebração da vitória de Cristo sobre a morte.

No Domingo de Páscoa a certeza da ressureição foi a mensagem da liturgia. Unidos, contemplamos o mistério da vida que vence a morte e ilumina a escuridão do pecado. Pelos próximos 50 dias, esse será o clima presente nas celebrações: Cristo, nossa Páscoa, libertou seu povo cativo!